Recent Comments

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Nostalgia Pura: Mega Man (NES)


Publicadora: Capcom  Lançamento: 1987 (U.S.A.)  Jogadores: 1  Gênero: Plataforma/Adventure

A tela título não promete muito...
 Bem, estamos na 8ª Geração dos Videogames, as três gigantes já estão se preparando para  travar uma nova batalha, e as thirdies também! Afinal, o que seria de um console sem clássicos de terceiros, como Contra, Ninja Gaiden, Bomberman ou ainda Pac-Man? Esses jogos são exemplos de como coisas simples podem fazer a diferença, possuindo jogabilidade simples e funcional, e como dizem que recordar é viver, vamos nos relembrar de um game em especial que é bem conhecido, vamos falar de Mega Man!

O futuro é agora!   

Dr. Albert Willy. Oh, wait...
Dr. Thomas Light, o criador de Mega Man
  A história de Mega Man se passa em 20XX (isso mesmo, no nosso século! Talvez daqui à alguns anos nós possamos encontrar robôs com escudos impenetráveis e equipados com canhões de plasma...), e conta a história de dois cientistas, chamados Dr. Thomas Light e Dr. Albert Willy. Eles construíam robôs humanoides, afim de ajudar a humanidade, o que é meio clichê, mas tudo bem (quem não adoraria construir máquinas de guerra que aparam a grama? Ou que fazem shows de mágica para crianças diabéticas - já que em "20XX" todo mundo já nasce doente - ? Isso é o sonho de todo o mundo!). Só que havia um problema. Dr. Light era o único que levava os créditos pelo trabalho da dupla, o que deixou o seu parceiro parcialmente careca com raiva. Dr. Willy resolve roubar os 6 robôs que eles haviam construído juntos e os modificou para que eles passassem a se rebelar contra a humanidade, e então ele finalmente conseguiria dominar o mundo!...E se vingar. Após Light ficar sabendo que Willy estava maluco, ele modificou Rock,(irmão da robô doméstica Roll - sacaram? Rock...Roll...Rock'n'Roll... - ) um dos seus robôs para que ele pudesse impedir os planos diabólicos do cientista do mal! Não é uma história TÃO original, mas funcionou em 1987 e continua funcionando até hoje, então tudo bem.

O Game como ele é   

  Quanto ao visual, não há tanto do que reclamar. Para a época, os gráficos são muito bons. Na verdade, um jogo clássico do Mega Man basicamente nem precisa de sprites detalhados, bastam apenas alguns amontoados de pixels que atiram sprites pequenos que quando encostam em alguma coisa, desaparecem! Mas eu não vou reclamar muito, são bons. Só que tem um problema...Às vezes tem tanta coisa na tela que os sprites simplesmente desaparecem! Claro que isso é um problema do console em si e não do jogo, mas custava ao menos não entupir a tela de foguetes e bombas e...coisas estranhas que atiram pra tudo quanto é lado?!!!
 

Ótimo jogo, pena que os inimigos são hologramas...
Cadê o rosto dele?!!!
 Os backgrounds também não deixam à desejar, apesar de não serem muitos, eles são...bem feitos.

Parte do background da fase do Ice Man, nada mal para um game 8-Bits
 Agora, vamos falar sobre o que realmente importa: a jogabilidade. Quando você começa o jogo é recebido por uma simples tela título com o logo do game (Além de um simpático "TM"), e a frase "Press Start". O que você faz? Aperta Start. Só que a única coisa que acontece é que o "Press Start" começa a piscar, e...nada. Você aperta todos os botões do controle até que o jogo funciona!...E te joga direto na fase do Cut Man (um dos chefes do jogo, que aliás, são chamados de Robot Masters). A questão é que você precisa esperar a tela de seleção de estágios aparecer, o que nem todos terão paciência de esperar. Enfim, vamos falar sobre a Tela de Seleção de Estágios. Um fundo azul, Seis...monitores com imagens de perfil dos 6 chefes de fase e...bem, é isso. Após selecionar uma fase com o direcional, você aperta Start e poderá aproveitar as fases. 

Porque os chefes estão de perfil, você pergunta. Porque é o melhor ângulo deles ora bolas(Destaque para o Bomb Man, que está exibindo os músculos)!

 Cada um dos 6 estágios principais possui uma temática diferente. O estágio do Cut Man (ex-jardineiro) possui...tesouras e...junções de cano que seguem um caminho pré-determinado, o estágio do Guts Man (ex-mineiro) possui robôs com capacete cuspidores de ouro e ...abismos. O estágio do Ice Man (ex...ahn...ambientalista bêbado?) possui muito gelo e água, e assim por diante. A jogabilidade é ainda mais simples que a do icônico Super Mario Bros., tudo o que você faz é pular e atirar. É sério! O que mas você poderia querer? Talvez que Rock não possuísse o frustante pulo de Castlevania! Você está em frente à um abismo, tudo o que você pode fazer é correr e pular, mas antes que você possa pular, um projétil sai das sombras das profundezas do sarcófago de Ápis e te joga pra trás, você cai e...morre. 

De onde esses programadores tiraram essas porcarias?!!!

É nessas horas que todos os músculos do seu corpo ficam tensos ao mesmo tempo...

 O jogo também possui outro problema, não chega a ser tão irritante quanto esse, mas também incomoda um pouco. Bugs e Glitchs. Você atira num inimigo e o item fica preso numa parede, você corre atrás de um inimigo e ele desaparece. Você está pulando de um precipício e acaba atravessando uma plataforma... 

Nem queira saber como aquele item foi parar aí...
Super Arm, "arma" adquirida após derrotar Guts Man
 Agora a melhor parte do jogo: você pode usar a habilidade dos chefes derrotados durantes as fases! E cada um dos Robot Masters possui um ponto fraco...que é a arma de um outro chefe! Isso não é genial?! Depois de se ferrar e explodir tantas vezes, você pode finalmente mostrar pra esses babacas quem é que manda, esfregar a cara deles no chão (só não destrua o rosto de algum como naquela imagem, ok?)! E pelo visto, só falta falarmos sobre a soundtrack do jogo.

Sempre tente usar os itens quando estiver com problemas, eles podem ser úteis!
  Não há tanto assim sobre o que falar sobre a soundtrack por motivos óbvios. Esse é um jogo de NES, lançado em 1987 e que foi feito um pouco às pressas para que a Capcom entrasse de vez no mercado de games para consoles de mesa...Bem, tudo que vou fazer é dizer que não é ruim e deixar três temas diferentes do jogo pra vocês ficarem com vontade de jogar o game e não perceber que a matéria é ruim .


Cut Man Stage Theme

Elec Man Stage Theme

Fire Man Stage Theme

 Você pode ama-las, pode odiá-las, mas elas sempre serão boas (ou ao menos...decentes).

Let's Rock!!!   

  Antes de dar o veredito, vamos ao resumão:
 
Jogabilidade: É boa, apesar dos Bugs e da "maldição do Drácula".

Gráficos: Para o NES estão incríveis (estariam ainda melhores se os inimigos não fossem "holográficos"

Música:
 Não é ruim...

 Esse jogo foi um dos primeiros que a Capcom lançou exclusivamente para consoles, e apesar de tudo, é legal, afinal explodir robôs é divertido! Então se você gosta de platformers e adventures, ou se tem um instinto psicótico e adora massacrar tudo o que vê pela frente, ou ainda se adora um jogo com desafio moderadamente alto, esse é o seu jogo!

Jogabilidade: 7.5 -----Som: 7.5 -----Nostalgia: 8.5
Gráficos: 8.0 -----Diversão: 9.0

Nota Final: 8.2

Bem, foi a melhor imagem que eu consegui...





...Mentira!!!
 
 Um clássico dos anos '80, essa é uma das várias maneiras de se definir o jogo, nada extraordinário, nada tediante. E sabe o que é melhor ainda? Zera-lo! A sensação de jogar esse jogo é uma mistura de nostalgia, ódio e adrenalina, talvez eu esteja exagerando...É um bom jogo, você acabou de desperdiçar o seu tempo e agora está se perguntando porque está lendo isso...Jogue logo de uma vez!!!

P.S.: Acharam que iriam se livrar de mim? Tô de volta!!! 

O que você achou?

0 comentários:

Postar um comentário